O PSB vai romper com Rui Costa?

Imagem: Pesquisa Google Imagens

Marco Wense

A pergunta que intitula o comentário de hoje decorre de uma análise do blog Política Livre do jornalista Raul Monteiro. Confesso que fiquei surpreso com a possibilidade do PSB da senadora Lídice da Mata deixar a base aliada do governo Rui Costa (PT).

O blog soteropolitano diz que o prefeito de Feira de Santana, Zé Ronaldo (DEM), pode mudar de partido. Até aí nada de estranho. Mas cita o PSB como opção, além do PP, PR e o PRB.

Diz o Política Livre: “Qualquer um dos partidos serviria ao propósito de estar bem posicionado numa legenda alternativa ao DEM para integrar a chapa de ACM Neto (DEM) em 2018”.  A chamada chapa puro-sangue passaria para o plano B.

Zé Ronaldo, além de ser o “reserva” de ACM Neto no caso do gestor não disputar à sucessão estadual, é nome certo para integrar a chapa majoritária como vice ou como candidato ao Senado da República.

E o PSB? A legenda romperia com o petismo baiano? Lídice disputaria à reeleição na chapa oposicionista com o DEM na linha de frente? E mais: o blog diz que “o jogo é combinadíssimo com ACM Neto”.

É bom lembrar que a senadora Lídice da Mata, que é a comandante-mor do PSB da Bahia, está sendo defenestrada pela cúpula estadual do PT. As portas da chapa majoritária do governismo se fecharam. A sobrevivência política pode falar mais alto.

Lídice, PSB, DEM, Zé Ronaldo e ACM Neto caminhando lado a lado. Francamente, como diria o saudoso Leonel Brizola, prefiro acreditar que a fonte do Política Livre não é confiável.

PS – O título do comentário do Política Livre: “Em jogo combinado com Neto, Zé Ronaldo avalia ingresso em PP, PR, PSB e PRB”.

Hoje na imprensa

Marco Wense

1 – “Reforma da Previdência esbarra em pressão de ruralistas e servidores”. (Estadão).

2 – “Planalto espera que greve seja maior e mais radical que a de março”. (UOL).

3 – “Sem foro privilegiado, políticos vão ser julgados este ano, diz senador”. (Folha).

4 – “Greve geral é teste para aprovação das reformas do governo”. (Valor Econômico).

5 – “Em jogo combinado com Neto, Zé Ronaldo avalia ingresso em PP, PR, PSB e PRB”. (Política Livre).

6 – “Reforma deve mudar cenário para sindicatos”. (Tribuna da Bahia).

7 – “Governo dará segunda chance a deputados do PSB”. (ba.bahia).

8 – “STF decide que servidores com dois cargos podem ter salário maior que teto”. (Correio Braziliense).

9 – “Líderes do PSB dizem que decisão da Executiva contra reformas foi “arbitrária””. (A Tarde).

TSE condena partidos. PT terá que devolver R$ 5,6 milhões

Imagem: Pesquisa Google Imagens

Marcos Vinícius Anjos

Em julgamento hoje (27/04) pela manhã, no Tribunal Superior Eleitoral – TSE, sete partidos foram condenados por irregularidades nas prestações de contas ainda do ano de 2011.

PSOL, PSTU, PTC, PSL, DEM, PMDB e PT, além de devolver dinheiro, ficarão sem partes dos recursos do Fundo Partidário de 2017.

PSOL, PSTU e PSL tiveram suas contas de 2011 aprovadas com ressalvas e terão que devolver juntos um total de R$ 766 mil. O PTC teve as contas reprovadas parcialmente e terá que devolver R$ 114.562,00.

O DEM teve as contas de 2011 aprovadas com ressalva, apesar de não ter que devolver dinheiro, deverá direcionar mais de R$ 1,152 milhão, dos seus recursos do Fundo Partidário de 2017, para ações relacionadas à participação da mulher na política.

O PMDB também teve as contas de 2011 aprovadas com ressalva, terá que devolver R$ 762 mil. Foi condenado por pagar um advogado para atuar em ação não relacionada à atividade partidária e por irregularidades em contratações de serviços.

O PT, por sua vez, teve as contas de 2011 reprovadas parcialmente, terá que devolver R$ 5,6 milhões e deixará de receber R$ 7,8 milhões do Fundo Partidário em 2017. Foi condenado por efetuar pagamento de empréstimos fraudulentos (Ação Penal 470 – Mensalão), com recursos do Fundo Partidário.

Tratamos desse assunto no Busílis em 26/03/17 (veja aqui).

“[…] R$ 2,5 bilhões em recursos públicos, repassados aos partidos entre os anos de 2011 e 2015, ainda não haviam sido fiscalizados. 156 prestações de contas se acumulavam no TSE”.

Sem fiscalização e análise os partidos ficam livres para fazer o uso que bem quiserem do dinheiro público. A sociedade precisa saber os motivos do atraso na análise de tantas prestações de contas?

Ao julgar as contas de 2011 o TSE cumpriu com sua obrigação, apesar da demora, os partidos que cometeram irregularidades poderão começar a ser punidos.

É trágico ver que o TSE ainda está julgando contas partidárias de 2011. Diante de tantas irregularidades constatadas, o que se deve esperar dos anos seguintes, principalmente os eleitorais 2012, 2014 e 2016?

Veja mais aquiaqui.

ACM Neto versus Rui Costa

Imagem: Pesquisa Google Imagens

Marco Wense

Há meses atrás, quando ainda não se falava tão intensamente da sucessão de 2018, o prefeito ACM Neto e o governador Rui Costa mantinham um bom e civilizado relacionamento político.

Os argumentos que justificavam essa aproximação eram os mesmos, parecia tudo combinado entre os dois. Era preciso deixar as diferenças de lado em nome do bem-estar dos baianos, mais especificamente dos soteropolitanos.

Agora, pelo andar da carruagem, com a proximidade da disputa pelo cobiçado comando do Palácio de Ondina, as coisas começam a tomar outro rumo. Se minha vovó Nair fosse viva, diria que estão degringolando.

Essa ruga entre os chefes de Executivo já contamina o Legislativo municipal de Salvador. Os vereadores de oposição a ACM Neto já começam a dizer que o prefeito não atende as emendas. Os assessores do alcaide, por sua vez, reclamam das “perversidades” praticadas pelo governador Rui Costa.

ACM Neto (DEM) versus Rui Costa (PT). O pega-pega tende a ficar mais acirrado. E o que não falta na política é gente para jogar gasolina na fogueira.

Hoje na imprensa

Marco Wense

1 – “Após quase 10 horas, Câmara aprova texto principal da reforma trabalhista”. (Estadão).

2 – “Senado aprova, em primeiro turno, fim do foro privilegiado”. (Valor Econômico).

3 – “Planalto convoca reunião para discutir corte de cargos de infiéis”. (Folha).

4 – “Por gasto irregular, parecer do TSE pede rejeição de contas do PMDB”. (UOL).

5 – “Não tenho preocupação com delação do Palocci, diz Lula”. (O Globo).

6 – “Opinião – Greve geral é alerta para o país”. (Jornal do Brasil).

7 – “Lula quer “transmissão ao vivo” de seu depoimento a Sérgio Mora”. (Correio Braziliense).

8 – “TSE reprova contas do PSDB e manda sigla devolver R$ 3,9 mi à união”. (Brasil 247).

9 – “Palocci contrata advogado para delação”. (Política Livre).

10 – “Senado aprova projeto que extingue foro privilegiado a autoridades”. (Tribuna da Bahia).

11 – “Prefeitura (Salvador) continua sem atender a emendas da oposição, diz vereador”. (ba.bahia)

12 – “Rodoviários vão parar durante todo dia na sexta-feira, afirma sindicato”. (Correio da Bahia).

Juros no cartão e no cheque pela “hora da morte”

Imagem: Pesquisa Google Imagens

Marcos Vinícius Anjos

O Banco Central – BC informou hoje (quarta 26/04), aumento nos juros do cheque especial e do rotativo no cartão de crédito em março, após leve queda em fevereiro//17. Os juros do cheque especial subiram 0,39%, alcançando o absurdo valor de 328% ao ano. Já os juros do rotativo no cartão de crédito aumentaram 0,51%, chegando à aberração de 490,3% ao ano.

Esses tipos de crédito para consumo só devem ser utilizados em situações de extrema emergência e pelo menor tempo possível, pois, implicam em altos custos financeiros. Ainda com relação ao cartão de crédito, os usuários devem pagar toda a sua fatura no vencimento, evitando resíduos ou saldos devedores que possam sofrer atualização por essa taxa de juros indecente e imoral.

No início de abril/17 ocorrem mudanças na utilização dos cartões de crédito para tentar baixar os juros. A partir de agora o rotativo só poderá ser usado até o vencimento da fatura seguinte. Se na data do pagamento, o titular do cartão não tiver feito o pagamento total do valor da fatura, o restante terá que ser parcelado ou quitado.

Portanto, os usuários de cartões de crédito não poderão mais ficar pagando somente o mínimo das suas faturas em vários meses, ou seja, não terão como acumular saldo devedor no rotativo.

Infelizmente, a falta de educação financeira e de esclarecimento, quanto à disciplina e o uso desses meios de pagamento, tornam o brasileiro uma presa fácil para os banqueiros e operadores de crédito para consumo.

A ausência de uma regulamentação adequada e uma taxa de juros básica minimamente justa, transformam o Brasil no paraíso dos juros altos e o Governo numa espécie de “bobo da corte” da política econômica. Resta saber quem ganha com isso, além dos banqueiros.

No meio do “tiroteio”

Imagem: Pesquisa Google Imagens

Marco Wense

A avenida mais importante de Itabuna, a Cinquentenário, viveu ontem, 25, durante o período vespertino, uma inusitada “guerra de carros de som”.

De um lado, a ACI e o Sindicom anunciando que o comércio não vai fechar nesta sexta-feira, 28. Do outro, os sindicatos dos Comerciários e dos Bancários dizendo o contrário.

“O comércio vai fechar, Fora Temer”, esbravejavam os sindicalistas. “O comércio vai abrir”, retrucavam as duas entidades patronais.

No meio do “tiroteio”, os donos das lojas e os funcionários: abre, fecha, fecha, abre… Na dúvida, é melhor deixar uma parte do estabelecimento fechada e a outra aberta, agradando os dois lados.

Alguns transeuntes, para pirraçar a turma do “Fora Temer”, bradavam: “Dentro Temer, Dentro Temer”. O pega-pega promete ser mais intenso hoje e amanhã. O abre-fecha, fecha-abre deve começar bem cedo.

As reformas são necessárias

Imagem: Pesquisa Google Imagens

Marco Wense

Ninguém, pelo menos em sã consciência, pode negar a importância das reformas tributária, previdenciária, trabalhista e política. Todas elas são imprescindíveis. Do contrário, logo haverá uma situação insustentável, caminhando para o caos.

Reformar para melhorar, corrigir as distorções, reorganizar, reestruturar, enfim, dar melhor forma. Reformar com o escopo de justiça social, mantendo os direitos conquistados e cortando os privilégios.

Inaceitável é como o governo Temer quer fazer as reformas. Ou seja, nas costas dos mais fracos e sem mexer com os grandes grupos financeiros, que continuam dando as cartas no perverso mundo capitalista.

No tocante a reforma política, ou se acaba com a prostituição eleitoral ou ela acaba com o Brasil. A podridão do sistema eleitoral salta aos olhos.

Ser contra as reformas de Temer é uma coisa. Ser contra apenas por ser contra ou para agradar segmentos que também são privilegiados, é irresponsabilidade e demagogia. A obrigatoriedade do imposto sindical, por exemplo, sempre foi um absurdo.

Hoje na imprensa

Marco Wense

1 – “Comissão aprova reforma trabalhista e texto vai a plenário”. (Valor Econômico).

2 – “Fachin sofre revés e STF solta condenados de Moro”. (Estadão).

3 – “Greve marcada para sexta mobiliza pelo menos dez categorias em todo o país”. (Jornal do Brasil).

4 – “Planalto intensifica negociação para garantir apoio da base aliada”. (O Globo).

5 – “SFT entrega à Polícia Federal os 30 inquéritos da lista de Fachin”. (Correio Braziliense).

6 – “Governo sofre derrota em votação na Câmara sobre socorro a Estados”. (Folha).

7 – “OAS quer delatar propina em fundo de pensão e promete atingir o Judiciário”. (UOL).

8 – “Na base, cresce apoio da Igreja à greve geral”. (Brasil 247).

9 – “PSB se declara contra reformas de Temer e ameaça abandonar o governo”. (ba. bahia).

10 – “Estratégia de Neto para 2018 inclui visitas a interior e agenda com prefeitos”. (Tribuna da Bahia).

11 – “Centrais discutem alternativas para fim do imposto sindical obrigatório”. (Folha).

12 – “União do PT, PSDB e PMDB preocupa a força-tarefa da Lava Jato”. (Política Livre).

A mulher de sete metros e o PT

Imagem: Pesquisa Google Imagem

Marco Wense

O líder do PT na Câmara, deputado federal Carlos Zarattini (SP), em entrevista ao UOL Notícias, fez sua parte como representante dos parlamentares petistas na Casa Legislativa.

Zarattini defendeu o partido, seus companheiros e disse o que todos queriam e esperavam ouvir: 1) “o país está vivendo um regime de exceção”. 2) “a gente pode esperar qualquer coisa desse juiz”, obviamente se referindo a Sérgio Moro.

Não poderia deixar de faltar o elemento suspense com ingrediente de ameaça em relação a uma possível prisão de Luiz Inácio Lula da Silva: “… nós não temos previsão da consequência que pode ter”.

O líder discordou que o PT é dependente de Lula, mas não soube dizer qual o político da legenda que poderia sair candidato ao Palácio do Planalto em caso de inelegibilidade do ex-presidente.

Mas o que ficou caracterizado como uma defesa-mor dos companheiros, até certo ponto hilariante, foi a afirmação de que “a bancada do PT não tem nenhum deputado que de fato tenha feito qualquer ato de corrupção”.

Menos, deputado. Dizer que nenhum parlamentar do PT cometeu qualquer ato de corrupção é de lascar o cano, como diz a expressão popular. É melhor acreditar em papai Noel ou na mulher de sete metros.